quarta-feira, 1 de setembro de 2010

DAVI E MICAL

Para Davi Era Mel - Para Mical Era Fel
"Quando entrava a Arca do Senhor na cidade de Davi, Mical, a filha de Saul, estava olhando pela janela; e, vendo ao rei Davi saltando e dançando diante do Senhor, o desprezou no seu coração" (2 Sm 6.16); "Então Davi voltou para abençoar a sua casa; e Mical, filha de Saul, saiu a encontrar-se com Davi, e disse: Quão honrado foi o rei de Israel, descobrindo-se hoje aos olhos das servas de seus servos, como sem pudor se descobre um indivíduo qualquer. Disse, porém, Davi a Mical: Perante o Senhor, que me escolheu a mim de preferência a teu pai e a toda a sua casa, estabelecendo-me por chefe sobre o povo do Senhor, sobre Israel, sim, foi perante o Senhor que dancei; e perante Ele ainda hei de dançar. Também ainda mais do que isso me envilecerei e me humilharei aos meus olhos; mas das servas de quem falaste, delas serei honrado. E Mical, filha de Saul, não teve filhos, até o dia da sua morte" (2 Sm 6.20-23).

Com certeza nunca houve um homem e uma mulher tão diferentes um do outro unidos pelo casamento, como Davi, o homem segundo o coração de Deus, e Mical, a filha de Saul. O QUE ERA ALIMENTO PARA DAVI, ERA VENENO PARA MICAL. O que era mais doce do que o mel para Davi, era fel e absinto para Mical. As coisas que haviam se tornado mais e mais queridas para o coração de Davi cada dia, eram as próprias coisas que fizeram Mical ficar maluca, especialmente furiosa e desgovernadamente louca naquele dia em que a Arca de Deus foi levada para a Cidade de Davi.

Era um grande dia na vida de Davi, e lamentavelmente, foi a grandeza daquele dia para Davi que fez daquele dia um dia de morte para Mical, a filha de Saul. MICAL, A FILHA DE SAUL, MORREU NAQUELE DIA DE UMA ESTRANHA DOENÇA: UMA PROFUNDA REPUGNÂNCIA PELAS COISAS QUE O MAIOR PRAZER DO SEU MARIDO. Uma profunda aversão que cresceu e se tornou numa antipatia sem medida por Davi, até que essa profunda aversão e antipatia estabelecida explodiu naquele dia num ódio total e insulto deliberado.

Precisamos entender o que a Arca de Deus significava para Davi e a volta dela para Jerusalém, antes que possamos compreender a catástrofe daquele dia em sua inteireza. Eu ficaria até meia noite explicando tudo o que estava no coração de Davi enquanto ele sacrificava bezerros e animais cevados a cada seis passos, e dançava e saltava diante da Arca de Deus por todo o caminho subindo para a Cidade de Davi. E, mesmo assim, você mesmo teria que ser uma espécie de Davi para que pudesse olhar com a reverência correta e amor para Davi naquele dia. Davi estava fora de si. Davi nunca fez as coisas pela metade e muito menos a sua adoração a Deus. Foi como aquele dia, muito tempo depois, naquela mesma cidade, quando lemos que Seus discípulos lembraram que estava escrito: "O zelo da Tua casa me consumiu". Com todo a sua força - e sabemos um pouco como era a força de Davi nessas questões - ele saltou e dançou diante do Senhor até que Mical o desprezou em seu coração.

OS SURDOS SEMPRE DESPREZAM OS QUE DANÇAM: ELES NÃO PODEM OUVIR A MÚSICA. E, por outro lado, os que ouvem a música não podem entender aqueles que ficam parados. Davi não podia entender como Mical podia ficar sentada e parada aquele dia. MAS O OUVIDO DE MICAL NUNCA TINHA SIDO ABERTO PARA A MÚSICA DA ARCA. Ela não foi educada para isso e não era seu costume subir à Casa do Senhor para cantar e tocar como Davi.
SE Mical tivesse se casado no Senhor,
SE Mical tivesse reverenciado seu marido,
SE Mical tivesse se preocupado em agradar seu marido,
SE Mical tivesse tocado no Saltério e na harpa algumas vezes, mesmo que fosse por causa de Davi - que esposa feliz ela seria e que marido feliz Davi seria,
SE o coração de Mical estivesse afinado com o coração do seu marido quando ele abençoava sua casa toda noite,
SE ela tivesse desejado com todo o seu coração se unir ao seu marido quando ele os abençoava toda noite e cantava Salmos com eles,
SE Mical tivesse cantado com ele e depois dissesse: "Não subiremos à nossa cama até que tenhamos achado um lugar para o Senhor, uma morada para o Poderoso Deus de Jacó", quão positivo isso teria sido. Mas eis que DAVI ESTÁ SOZINHO COM AS CRIADAS DOS SEUS SERVOS. "Eis que ouvimos falar dela em Efrata e a achamos no campo de Jaar. Levanta-te Senhor, entra no lugar do Teu repouso, Tu e a Arca da Tua força" (Sl.132.3-8).
SE o jugo matrimonial de Davi não fosse tão desigual, Mical teria colocado sobre os ombros dele um éfode feito com as próprias mãos dela para aquele dia. E enquanto colocava sobre o éfode sobre Davi ela teria cantado: "Vestirei de salvação os seus sacerdotes e de júbilo os seus santos exultarão" (Sl.132.16). E então durante todo aquele dia em Jerusalém seria como no Mar Vermelho quando Míriam pegou o pandeiro nas mãos e todas as mulheres a seguiram com seus pandeiros e danças. Mas tal não aconteceu. MICAL FICOU SENTADA EM CASA NAQUELE GRANDE DIA EM ISRAEL E ABANDONOU SUA PRÓPRIA MISERICÓRDIA. Mical não estava no espírito daquele dia. E assim ela desprezou Davi em seu coração, quando os próprios portões de bronze e ferro levantavam suas cabeças para, ao som do Salmo de Davi (24) "deixar entrar o Rei da Glória"!

Para não falar do passado,

SE Mical naquele dia tivesse feito O QUE QUALQUER MULHER COM UM POUCO DE SENSO DE DECÊNCIA FARIA,
SE Mical tivesse vestido suas roupas reais e tivesse ido com Davi para a casa de Obede-Edom, quão diferente teria sido o fim daquele dia para ela e para Davi! Pois, uma vez no chão, cercada pelo povo reunido, a cena cheia de esplendor teria feito Mical desaparecer. As cinzas do seu primeiro amor por Davi que se apagavam rapidamente teriam sido sopradas e acesas com as antigas chamas, enquanto ela compartilhava da esplêndida saudação que Davi recebia do povo reunido. Nenhuma mulher ambiciosa, e muito menos a filha de Saul que possuía um coração de nobreza, poderia assistir o Israel reunido naquele dia sem ser tocada em simpatia pela cena. MAS MICAL PERDEU A ÚLTIMA CHANCE DELA NAQUELA MANHÃ! Mical não venceu a si mesma naquela manhã. Seu temperamento soberbo e antipático foi manifestado ao máximo naquela manhã. E ENTÃO DAVI TEVE QUE CUMPRIR AS OBRIGAÇÕES COMO REI SOZINHO NAQUELE DIA. E enquanto o dia continuava, Mical foi deixada sozinha com o coração mais amargurado em todo o Israel naquele dia. E o seu coração se endureceu mais e mais a medida que o dia passava; mais duro e mais violento para com Davi e para com todas as obrigações e prazeres daquele dia. E então, quando Jerusalém inteira passou com a Arca na porta dela, Mical olhou às escondidas da janela fechada e viu nada menos Davi dançando diante do Senhor. Diante daquela visão desprezível ELA CUSPIU EM DAVI e afundou-se em sua poltrona com o inferno inteiro em seu coração.

Vocês (esposas) devem ter tido o coração de Mical em vocês mesmas, em suas medidas, num Domingo quando ficaram em casa por algum motivo errado e seus maridos chegaram em casa com o rosto brilhando. E nos outros dias, quando vocês deveriam ter estado ao lado deles, vocês ficaram em casa por alguma antipatia, desprezo e ressentimento para se amargarem em silêncio o tempo todo. E depois, quando chegaram em casa demonstrando um espírito alegre e elevado, o dia de vocês terminou bem semelhante àquele dia de Mical.

Mical não poderia ter falado com Davi como falou naquele dia. Ela podia não ter controle sobre seu coração soberbo quando viu Davi dançando, mas quando ele chegou em casa ela deveria ter domado sua língua e a colocado sob um cabresto (como se faz com o cavalo). Davi, sem dúvida, era uma grande provocação e uma constante cruz para Mical. ELES NUNCA FORAM FEITOS UM PARA O OUTRO E ERA IMPOSSÍVEL QUE PUDESSEM SER FELIZES COMO HOMEM E MULHER, A NÃO SER POR UM MILAGRE. Davi era todo emoção, principalmente nas coisas Divinas; Mical era orgulhosa e fria como se fosse uma filha de Lúcifer, como na verdade ela era.

Davi naquele dia era como um dos nossos pastores voltando para casa depois da Ceia do Senhor. E se ele recebesse críticas ferinas sobre seu sermão, sua oração ou sobre sua maneira de conduzir a Ceia do Senhor, quando abria a porta da sua casa, seria como a própria recepção que Davi recebeu das mãos de Mical naquele dia.

Nos períodos em que marido e esposa não olham olho no olho, quando seus corações não batem mais como um só coração - nos períodos de desgosto, desaprovação e diferenças de opinião e ressentimentos mútuos - nessa ocasião as esposas devem se lembrar de Mical, cuja história ficou registrada para nosso ensino. Mical com seu coração cheio de guerra e sua boca inundada de palavras ímpias e com sua vida dali em diante cheia de remorso e miséria por causa daquele péssimo dia em sua casa em Jerusalém, DEVE SER VISTA COMO UM ESPELHO DIVINO PARA TODAS AS ESPOSAS IRADAS E FRANCAS ! ! !

"FOI DIANTE DO SENHOR" - Essa foi a nobre resposta de Davi às palavras de insulto e deboche de Mical. Essa foi toda a explicação para a emoção de Davi e a suficiente justificativa para ela. A alegria transbordante de Davi naquele dia tinha sua origem profunda e plena naquele dia distante, mas que nunca seria esquecido, quando Samuel foi a Belém com seu chifre com azeite. Se quisermos entender Davi e cantar seus Salmos nós precisamos:

* Passar pelas experiências de Davi
* Ter um nascimento e criação como Davi
* Ser escolhido e chamado como Davi
* Passar pelos pecados e salvação de Davi
* Experimentar as quedas e restaurações de Davi
* Provar as funções e serviços de Davi na Casa de Deus

Não é de se maravilhar portanto, que muitos dos Salmos de Davi estejam muito além do alcance de muitos, assim como a sua atitude de dançar (diante do Senhor) estava fora do alcance de Mical naquele dia. Mical pensou na realeza do seu pai Saul e desprezou a Davi - Davi pensou na pobreza de seu pai Jessé e dançou diante do Senhor. E, como disse, ele teria dançado da mesma forma e mais ainda, mesmo que a terra e o inferno fossem soltos para escarnecer e gritar contra ele. "Davi foi menos do que rei e mais do que rei", foi o comentário completo de Dante sobre a dança de Davi. E ASSIM SERÁ NAQUELE DIA QUANDO CONTEMPLARMOS O BURACO DO POÇO DE ONDE FOMOS TIRADOS E LANÇARMOS NOSSAS COROAS AOS PÉS DAQUELE QUE NOS TIROU DO MONTURO E NOS COLOCOU AO LADO DE DAVI.

E depois, o verdadeiramente nobre, verdadeiramente humilde e TERRIVELMENTE SOLITÁRIO HOMEM QUE DAVI ERA, tomou o escárnio da sua esposa ímpia e sem coração e o usou como um emblema de honra diante do Senhor naquele dia. Sim, ele disse: "Será como tu tens dito: buscarei e encontrarei entre os mais pobres e desprezados do povo de Deus aquilo que minha própria esposa me nega em casa. E QUEM PODE IMAGINAR QUANTOS MARIDOS QUE AQUI ESTÃO NÃO PASSAM PELA MESMA SITUAÇÃO DESOLADORA DE DAVI? Quem pode dizer quantos maridos precisam sair dos seus próprios lares para encontrar um mínimo de simpatia e descanso completo para os seus corações? A esposa cuide para que seu marido não tenha que sair à procura do seu melhor amigo, seu amigo mais solidário, e acima de tudo, em sua religião. Um ministro um dia me disse que suas melhores pregações aconteciam quando sua esposa estava em casa.

Que abismo havia entre Davi e Mical, entre Jesus e Seus irmãos, para não dizer entre Ele e Sua mãe e entre meu desolado amigo e sua esposa. E, meus irmãos, o Espírito Santo sabia o que estava fazendo e por quem estava fazendo, quando moveu o escritor sagrado a registrar na Bíblia aquele dia na vida de Davi.

Autor: Alexander Whyte
Tradução: Delcio Meireles

2 comentários:

  1. A explanação da palavra foi ótima, mas parece que o irmão esta revoltado com a esposa.

    ResponderExcluir
  2. Mical: no meu entender pode representar o Homem como a Mulher.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails